Os quadrinhos mais “TOPZERA” de 2016

Olá, leitores e leitoras!
Começamos o ano com uma retrospectiva em quadrinhos das minhas leituras de 2016 (essa, pelo menos, não é tão catastrófica quanto a da Globo).
Então prepare um café e se ajeite na poltrona, porque a lista é longa. São mais de 40 títulos listados, nacionais ou gringos, independentes ou editoriais.
Espero que curtam!

Deixe registrado nos comentários o que você achou da lista, suas opiniões sobre os quadrinhos lançados em 2016 e suas próprias recomendações.
Valeu, pessoal!
-Vinnie

CCXP 2016 – Foi épico pra c@r@l#0!

Oi, leitores e leitoras!
Quanto tempo, né?
Então, eu sei que andei sumido daqui por uns bons meses. Desde que voltei do FIQ de 2015 e desde que mudei de cidade, percebi que meu trabalho com os quadrinhos precisava se adequar à minha realidade.

E parece que toda essa mudança foi para me preparar para o maior evento de cultura pop do Brasil, a Comic Con Experience!
Se você estava em outro planeta durante os últimos meses, a feira aconteceu nos dias 01 a 04 de dezembro em São Paulo/SP. Este ano dividi a mesa com meu amigo Digo Freitas, o criador do Tinta Fresca e parceiro de projeto em 2016. Bom, na verdade, ao lado dos amigos Carlos Ruas, Pietro Progetti, Leonardo Maciel, Fábio Coala, Rafael Marçal, Wesley Samp e Fábio Ciccone, aquela região do Artists’ Alley virou quase uma mesa quádrupla!

strangerAliás, essa tem sido uma das melhores partes desde que levei meus quadrinhos pra fora de Hell City: estar no meio de tanta gente que produz HQ. Seja por hobby, seja profissionalmente, ou seja porque querer deixar sua marca no meio artístico. A energia de uma convenção é sempre boa!

É sempre bom rever tantos amigos depois de meses, encontrar pessoas que você só viu na internet, conhecer gente nova e conversar com pessoas cujo trabalho você admira.

E quando começa o “fervo” mal dá pra sair da mesa! A circulação de pessoas na CCXP chega a ser assustadora. Mas a vantagem é que isso sempre acaba trazendo gente que já teve algum contato com seu trabalho e, em ocasiões não raras, que já o acompanham há tempos!
Foi muito legal conhecer leitores de longa data do Café do Feliz. Apareceram alguns que conheciam o blog desde as primeiras tirinhas! Um deles é o Éttore, que apareceu de surpresa no domingo pra dar um abraço e retribuir o bar que ele ganhou de presente de aniversário em 2013:

bar

icaroAliás, a recepção do público superou expectativas!
Várias pessoas foram à nossa mesa já procurando o Tinta Fresca porque já tinham ouvido falar! Seja pela recomendação do Sidney Gusman no Universo HQ, pela resenha do Poderoso Porco no MDM, ou mesmo porque ouviu comentários, muita gente chegou à nossa mesa já com o Tinta na cabeça.
E a melhor parte foi quando um menino pegou a revista com os olhos brilhando dizendo que se chamava Ícaro (o protagonista do livro)! Sério, para quem faz quadrinhos, essas são as melhores recompensas! Posso dizer, tanto por mim quanto pelo Digo, que nossa função como quadrinistas foi cumprida com satisfação. E agradecemos a todos vocês, leitores, pelo carinho que estamos recebendo.

Claro que podia ter sido melhor. A reclamação geral sobre o evento foi o palco rock que estava bem próximo ao Artists’ Alley, fazendo a galera forçar o gogó pra conseguir ser ouvido. E o fucking palco da Netflix com seu fucking karaokê, que nos fez ouvir as piores interpretações de What’s Up do 4NonBlondes. Aquela música chiclete que tocou naquela cena memorável de Sense8. Graças à isso, agora eu odeio a série. ¬¬

O chato de você ir no evento pra trabalhar também é perder quase todas as atrações e painéis. Dos atores gringos, eu mal lembro quem estava lá. Não tive nem meia chance de pegar autógrafo de uns picas dos quadrinhos, como o Eduardo Risso, o Simon Bisley, o Frank Quitely, etc.
Mas consegui tirar uma foto com a Laerte! =D
laerteDe qualquer jeito, são quatro dias inesquecíveis para qualquer fã de quadrinhos e cultura pop, tanto para quem está do lado de lá quanto do lado de cá da mesa do Alley.

Eu visitei a CCXP em 2014 como fã e foi uma das melhores coisas que fiz naquele ano. O evento já começou gigante e cresceu ainda mais. Não só pelo número de novidades relacionadas às séries, aos filmes e aos personagens icônicos que amamos, mas pelo cuidado que os organizadores têm em nos proporcionar uma experiência inesquecível. E porque cada vez mais tem coisa pra ver e cada vez mais tem talentos nacionais para se descobrir.

Por falar nisso…img_20161205_130819

Esses são os quadrinhos que trouxe de volta comigo. Alguns eu havia apoiado no Catarse e retirei no evento, mas a maioria foi tipo “shut up and take my money” mesmo. E olha que só não levei mais porque não ia aguentar carregar a mala de volta pra casa!
Quadrinhos estes que foram feitos por essa galera aqui, ó:
quadrinistas

Gente bagarai, né? Pois aí nessa foto mal tinha um décimo da galera. O Artists’ Alley da CCXP contava com uns 400 artistas. Ainda terei uma oportunidade de falar mais sobre os quadrinhos nacionais (independentes ou não) produzidos por toda essa gente querida.

Por enquanto, me despeço de vocês, leitores e leitoras.
Antes, quero deixar um agradecimento especial ao Digo, pelo profissionalismo e pela parceria nos quadrinhos e nos eventos que participamos este ano. Um grande abraço a todos os amigos e amigas quadrinistas, cuja lista já é grande demais pra lembrar de cabeça e não quero correr o risco de deixar ninguém de fora.
E um muito obrigado a todo mundo que pôde comparecer ao evento e dar um pulinho na mesa A16 para dar um abraço e levar um quadrinho, print, botton ou caneca.
Deixo também minha eterna gratidão a todos vocês que me incentivam a continuar a trilhar esse caminho que eu amo. A todos que compartilham posts, deixam seus comentários ou trocam uma ideia no twitter.
Vocês moram no meu S2!

-Feliz

P.S. Vocês já devem ter visto um certo teaser na fanpage e no twitter, mas vou reiterar que em breve teremos novidades!

High School Sux #295

hss_295

Estranhando High School Sux numa quinta-feira?
Adiantei em caráter excepcional o capítulo de amanhã, pois a partir de hoje estarei entrando em recesso!
Minhas férias chegaram e decidi aproveitar meu merecido descanso para me bronzear nas praias das Bahamas.
A boa notícia é que na semana que vem, como vocês já devem saber, participarei do FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos, em Belo Horizonte!
Estarei no evento do dia 11 ao dia 15 de novembro na mesa 40 da Área dos Artistas, junto com o Nicolas e o Tacilim, da 23 Comics e a Chairim, das Aventuras da Bruxinha Mô.
Se você é de BH ou arredores, dê uma passada no FIQ para dar um oi!
Mais informações, local do evento, atrações e etc, você pode encontrar aqui: http://fiqbh.com.br/

A previsão para o retorno é na semana do dia 23/11, se tudo der certo e eu não pegar insolação nas praias paradisíacas. Voltaremos com High School Sux em seus melhores momentos, a bizarrice do arco “Punk’s Dead” em Punk the System e mais!
Até lá, caríssimos leitores e leitoras!
-Feliz

Friday, bloody Friday #125

Esta semana, após o último capítulo da novela da TV a cabo de Game of Thrones, voltou-se a discutir a polêmica em torno dos spoilers. Mas até quando uma informação sobre um filme, um livro, uma série, HQ ou game é spoiler? Até quando o babaca da roda é você?
Para resolver essas questões, apresento a vocês…
friday_125

Abaixo, alguns trechos retirados diretamente do Incrível Manual de Regras (cagadas) sobre Spoilers.

CUIDADO!!!
Este post vai ter spoilers!! Os trechos que contiverem spoilers estarão grafados em amarelo. Se quiser ler, selecione o texto. Mas lembre-se, a surpresa pode não ser agradável!
Esteja avisado!!

Situação 1: Você solta no grupo ou nas redes sociais uma informação crucial para a trama logo após o capítulo de uma série, ou enquanto o filme ainda está em cartaz. Seja por meme ou revelando a informação diretamente. Você não deu chance para as pessoas assistirem ainda. Portanto, você é um babaca.
Ex: Jon Snow morreu no último capítulo de Game of Thrones e todos estão postando memes.

Situação 2: Você está acompanhando uma série na Netflix (ou baixando ilegalmente) que já está avançada, porém você ainda está nas primeiras temporadas. Você curte a página da série no Facebook e vê imagens e pessoas comentando sobre acontecimentos cruciais que você ainda não viu. A culpa, nesse caso, é inteiramente sua. A página serve para discutir os acontecimentos da série e os responsáveis por ela não são obrigados a esperar você alcançar a temporada atual.
Ex: A página de House of Cards posta fotos de Frank Underwood na cadeira do Presidente dos EUA.

Situação 3: Você leu o livro, mas as pessoas do grupo não viram o filme/a série. Ninguém é obrigado a ter lido o livro. Então não estrague a diversão das pessoas que ainda não viram o filme/a série! Porra!
Ex: Dizer que Snape matou Dumbledore semanas antes da estreia de Harry Potter e o Enigma do Príncipe.

Situação 4: Todos no grupo, menos você, já viram o filme/leram o livro em discussão. Nesse caso, você está atrapalhando a discussão dos presentes no grupo. Se você não quiser levar spoiler, saia da roda.
Ex: Todos estão comentando como suas cabeças explodiram quando foi revelado que Tyler Durden e o Narrador são a mesma pessoa em O Clube da Luta.

Situação 5: O filme é um lançamento recente e todos na roda já assistiram, menos você. Aqui se aplica a mesma regra da Situação 4. Todos querem discutir os acontecimentos mais chocantes do filme, mas não podem por sua causa? Sacanagem sua, pô!
Ex: Mercúrio morre em Vingadores – A Era de Ultron. Não viu o filme? Pena, todo mundo viu!

Situação 6: O filme é um clássico, e alguém, nas redes sociais ou pessoalmente, mencionou uma informação crucial que você desconhecia. Bem feito pra você! Certos filmes se tornam parte da cultura global, ninguém tem culpa de você viver em outro planeta.
Ex: Darth Vader é o pai de Luke Skywalker e até quem não sabe direito o que é Star Wars sabe disso.

Situação 7: O filme tem mais de 50 anos. Muita gente provavelmente não viu. Por mais que seja um clássico dos clássicos, nem todo mundo se lembra de buscar obras como Psicose, Cidadão Kane, E o Vento Levou, etc. Quando for indicar o filme, não comente informações cruciais. Fale sobre o filme para que a outra pessoa se interesse e descubra por si só por quê é um clássico dos clássicos.
Ex: Indique Cidadão Kane pela trama intrigante e pela maestria no uso da câmera e da montagem, mas não diga que Rosebud é o trenó.

Situação 8: Você está fazendo um vídeo, gravando um podcast, escrevendo uma crítica ou fazendo um post para seu blog que contém uma informação crucial sobre uma obra (filme, livro, série, game, HQ). A pessoa que procurou o assunto muitas vezes busca informação sobre a obra para conhecê-la melhor e ver se irá gastar seus recursos (tempo e dinheiro) com ela. Caso for dar spoilers no seu trabalho, avise com antecedência para a pessoa se precaver. Se depois disso ela continuou a acompanhar, é responsabilidade dela.

E é isso aí! Essas são algumas das situações previstas que envolvem spoilers. Você conhece mais alguma, leitor? O que você acha sobre o assunto? Já tomou um spoiler na fuça que estragou toda sua experiência de apreciar uma obra? Deixe aí nos comentários!

Bom final de semana e até domingo!
-Feliz

Friday, bloody Friday #121

friday_121

Sei que já tem na net o trailer full de Batman v Superman, mas eu ainda não assisti! Vou esperar sair com qualidade boa…
Mas e vocês, amigos cafenautas?
O que acharam das novidades do mundo pop essa semana? Quais suas expectativas para o que vem por aí para a Marvel, para a DC e para os Jedi?
Diga aí nos comentários!!

Bom final de semana e até domingo!
-Feliz