Então…

Oi, leitores e leitoras.

Eu estou devendo uma explicação para a falta de atualizações, né?
Pois bem, como vocês já sabem, a campanha do Tinta Fresca está chegando na metade. E como a previsão de entrega da HQ aos apoiadores é na Gibicon de Curitiba (que deve rolar em setembro), a produção está a mil.

Portanto, o Café do Feliz e eu estamos dando um tempo em nosso relacionamento.
Por enquanto, concentrarei meus esforços no Tinta Fresca. Ainda estarei disponível no Twitter e no Facebook. Eventualmente postarei algumas tiras antigas e novidades sobre o projeto, que aliás, está ficando bacanudo, dá uma olhada:

pág 06 pág 07

06_07

Enfim. Por enquanto é isso, pessoal. Lamento muuuito ter que suspender as atualizações.
Por enquanto vou tirar umas férias dos meus queridos personagens e histórias. Espero voltar com todo gás para criar arcos memoráveis.

Não esqueça de apoiar: http://catarse.me/tintafresca

-Feliz

Giblog #145

cdf_145

Ok, eu sei que a essa altura, falar de Batman v Superman já é chutar cachorro morto, mas é impossível não comparar os dois grandes eventos cinematográficos das grandes editoras de quadrinhos. A grande diferença entre os dois filmes é que Guerra Civil não entregou o ouro antes do filme estrear.

O terceiro filme da franquia do Bandeiroso tem apenas uma leve inspiração no mega evento dos quadrinhos, escrito por Mark Millar. A maior inspiração vem da excelente passagem de Ed Brubaker pelo Capitão América. E isso acaba sendo uma coisa positiva para o filme, criando um universo cinematográfico único e distinto dos quadrinhos.

Aqui a gente vê como uma boa direção faz toda a diferença. O grande evento da DC falhou em trabalhar com tantos personagens e acontecimentos em 2:30 de filme, sem dosar o timing para a ação, para a trama e o desenvolvimento dos personagens. Guerra Civil trabalhou isso de forma impecável no mesmo tempo de filme. Houve bastante espaço para nos empolgarmos com cada cena de ação, para refletir sobre o tema proposto e, muito importante, para cada personagem brilhar. As melhores cenas de luta, sem dúvida, são da Viúva Negra e do Falcão. E o filme já nos coloca no hype para o filme solo do Pantera Negra.

E o Homem-Aranha?
Bem… só digo uma coisa: meu fanboy interior está feliz.
É um filme que verei novamente no cinema.
-Feliz