Friday, bloody Friday #117

Antes de começar, acho pertinente dizer algumas coisas.

1- O post de hoje é propositalmente longo, porque pretendo abordar vários aspectos do assunto. Por isso, se for deixar comentário, leia até o final. Não faz sentido comentar se for para cair em contradição com a proposta do texto.

2- O assunto é complicado e não deve ser observado levianamente. Então, seria de bom tom evitar comentários baseados em clichês. Intolerância também não será permitida.

3- Provavelmente muita gente não vai gostar do que vai ler aqui. Já estou escrevendo isso preparado para perder leitores e até alguns amigos que porventura vierem pra cá. Sem brincadeira. Mas procure, pelo menos, pensar sobre o assunto. Só é possível evoluir como pessoa confrontando diretamente com coisas que desafiam nossas crenças preestabelecidas.

Killing-Joke

Rafael Albuquerque é um desenhista brasileiro que já realizou vários trabalhos independentes reconhecidos internacionalmente e em parceria com as maiores editoras de quadrinhos do mundo.

Particularmente, gosto bastante do seu trabalho em Vampiro Americano. Porém, meu trabalho favorito do artista é em conjunto com Mateus Santolouco e Eduardo Medeiros na HQ roqueira Mondo Urbano. As representações do mundo musical neste álbum me inspiram até hoje na criação de Punk the System.

Recentemente a DC Comics anunciou algumas capas alternativas para seus quadrinhos que serão publicados em junho, em comemoração aos 75 anos do Coringa. As variantes trarão o palhaço do crime junto com os heróis do título. A discussão começou quando a editora mostrou o preview da Batgirl #41, desenhado por Albuquerque.

coringa-capas-batgirl-41

A ideia da capa é homenagear o clássico “A Piada Mortal”, com roteiros de Alan Moore e desenhos de Brian Bolland. A HQ é uma das mais conhecidas do Batman e traz a origem do Coringa, além de mostrar um momento marcante na carreira de Barbara Gordon (Batgirl), que é aleijada com um tiro na bacia e violentada. A imagem divulgada causou comoção entre o público feminino, visto que sugere casos de violência contra a mulher, além do tom não condizer com o público da HQ da Batgirl, majoritariamente feminino e juvenil. Rafael Albuquerque, então, pediu à DC que a capa não fosse publicada. Segue a declaração do artista:

“Para mim, foi uma capa assustadora que trazia algo do passado da personagem, e eu fui capaz de interpretar isso artisticamente. Mas ficou claro que, para outros, isso tocou em um nervo importante. Eu respeito essas opiniões e, sem entrar no mérito de quem está certo ou errado, acredito que nenhuma opinião deva ser desacreditada. Minha intenção nunca foi ferir ou desapontar ninguém com meu desenho. Por essa razão, recomendei que a DC não publicasse a capa. Fico incrivelmente grato que a DC Comics tenha ouvido minha preocupação e decidido não publicar o desenho de capa em junho como anunciado anteriormente”.
Via Omelete

A reação dos nerds com a divulgação do cancelamento foi padronizada:
“QUANTO MIMIMI”
“GERAÇÃO LEITE COM PERA!”
“GERAÇÃO DEDO NO CU!”
“PATRULHA DO POLITICAMENTE CORRETO!”
“MALDITA GERAÇÃO MIMIMI!”

E é isso que vamos discutir no post de hoje.

MIMIMI?

A internet virou um ambiente insuportável desde que as pessoas aprenderam a usar o termo “mimimi” em discussões. Sério, a cada vez que vejo alguém dizer que isso ou aquilo é “mimimi”, um pouco da minha fé nas humanidade morre. Esse é o Argumentum ad hominem da moda. Quer dizer, a pessoa responde atacando diretamente a outra, nesse caso ridicularizando-a. O ad hominem não tem valor argumentativo, por ser uma falácia.
fudencio
É uma falácia pois atribui valor negativo à outra proposição sem observar seu conteúdo. Além de não ter valor argumentativo, é praticamente o equivalente a dizer “é a vovozinha”, o que é completamente infantil. Porém, a pessoa que adora chamar tudo de mimimi costuma se achar A VENCEDORA DO DEBATE. Claro, campeão, vai lá debater na ONU.

PATRULHA DO POLITICAMENTE CORRETO

pol surpresaComo produtor de conteúdo, costumo pesar bastante sobre o que vou escrever e desenhar. Afinal, o que é publicado na internet está aí pra qualquer um ver, e ninguém além de mim é responsável pelo que escrevo no Twitter, no Facebook e pelo que posto no Café do Feliz. Mas, invariavelmente, acabo chegando num ponto que me faz pensar “será que devo postar isso?”.
Quando me deparo com esses dilemas, uso a Regra de Gentili. Pergunto a mim mesmo: “O Danilo Gentili postaria isso?”. Se a resposta for sim, não posto e abandono a ideia.

Gentili é um dos humoristas da nova geração que carrega o estandarte do “politicamente incorreto”.  Porém, aparentemente, sua definição do termo é “posso dizer o caralho que eu quiser pro mundo inteiro, sem consequência nenhuma, e quem não gostar é que está errado”.

Mas há muita coisa por trás de uma piada, por trás de um meme, por trás de uma capa de HQ. Primeiro, pelo que vi, quase todo mundo que se irritou com a retirada da capa não levou em conta que a HQ da Batgirl é voltada ao público feminino infanto-juvenil. Muitos sequer sabiam disso! Como alguém vai fazer um julgamento desses sem levar isso em conta? É pra isso que existe classificação etária no cinema, na TV e outras mídias. É por isso que você provavelmente iria pensar duas vezes antes de deixar seus pimpolhos assistirem Game of Thrones.

Segundo, em minha observação dos comentários padrão, percebi que a maioria esmagadora são homens em seus 20 ~ 30 anos (tinha uma ou outra mulher que reclamou também, mas eram 4 ou 5 entre literalmente CENTENAS de caras). Esse nerd normalmente tem mais conhecimento sobre quadrinhos e já leu A Piada Mortal (que aborda um tema mais adulto). Uma vivência completamente diferente da garota de 10 anos que lê Batgirl por seu tom divertido e descontraído. Algum desses nerds chegou a considerar isso? Duvido.

NEM TUDO É SOBRE VOCÊ

Proponho que façamos um exercício, aqui. Tente colocar de lado por uns instantes sua vivência e experiências pessoais. Tente colocar de lado as convicções que você carrega diariamente. Ao invés disso, vamos tentar nos colocar no lugar de outra pessoa em uma determinada situação. É bem difícil, sim, mas isso se chama empatia.

Imagine que você é uma pessoa negra e vê em uma livraria a HQ “Tintin no Congo”. Você lê a história e percebe que os personagens da sua etnia são desenhados quase como se fossem macacos e têm comportamento selvagem, beirando o irracional. Enquanto isso, outros personagens (brancos) falam como pessoas, agem como pessoas e (veja só!) são desenhados como pessoas! Como você se sentiria?

kkk

O álbum “Tintin no Congo” foi lançado em 1931. Não muito tempo depois do comércio de negros como escravos e naquela época racismo não era crime. Era comum e até socialmente aceitável considerar pessoas negras inferiores e pessoas brancas superiores. Parece absurdo, não? Pois é. Mas provavelmente você, branco, seria uma das pessoas que diriam “essa geração leite com pera é foda!”.

O que eu vejo nesse momento da História é uma situação semelhante. Mais uma vez, convido a todos para um exercício de empatia. Você é uma mulher. Você não pode escolher suas próprias roupas pra sair de casa sem se preocupar se vão te chamar de “vagabunda”. Você constantemente é alvo de passadas de mão e esfregadas nos ônibus, nos metrôs, na rua, em bares. Você é avaliada negativamente pelo seu comportamento sexual. Se você fez e faz sexo com vários parceiros, você é puta. Se não faz, é frígida. Se você dá moral, é “fácil”. Se não dá, provavelmente é lésbica. A publicidade trata você como objeto de consumo. Os homens, nesse contexto, assim doutrinados desde pequenos, são levados a acreditar que você, mulher, é dele por direito. Ele viu nos desenhos animados um homem das cavernas arrastando sua mulher, sua caça, pelos cabelos. Ele sente que tem poder sobre você. E você está ciente que ele sabe disso. Portanto, você sente medo ao passar perto de um bando de homens na rua. Se for à noite, pior ainda. Afinal, o medo é a reação instintiva que serve para sua proteção e sobrevivência. Nesse contexto, como você se sentiria ao ver a capa?

close

Compare as duas situações, e perceba o seguinte, antes de dizer “ah, então não pode mais ter violência nos quadrinhos?”: Não estamos discutindo aqui “violência nos quadrinhos”.
Não estamos falando sobre o que acontece na história, até porque o público alvo do gibi da Batgirl provavelmente nunca leu A Piada Mortal. Estamos falando sobre entender o contexto em que outra pessoa enxerga a mesma situação que você e as formas como isso as  afeta. “Mas o Coringa é vilão, queria que ele desse flores?”. Mais uma vez, não estamos discutindo aqui o caráter do vilão, estamos analisando uma imagem específica (que tem diversos elementos semióticos chave contidos nela) dentro de um contexto específico.

Ainda insiste na história do “mimimi”? Ok, vamos mais uma vez falar sobre empatia, com um exemplo que talvez seja mais fácil. Você é cristão? Se não é, provavelmente deve ter crescido em um lar cristão. Ainda se não for o caso, coloque-se no lugar de uma pessoa que vai todo domingo à igreja e vê imagens da trajetória de seu salvador nos vitrais. Agora, dê uma olhada na capa de natal desta HQ da editora Atlas, em homenagem ao clássico “A Noite dos Mortos Vivos” de George A. Romero.

4b_260985_0_NightOfTheLivingDeadHolidaySpe

A capa mostra a Sagrada Família num frenesi canibal. José e Maria, depois de terem devorado um dos Reis Magos, partem para banquetear-se do Menino Jesus. Maria Já devorou um pezinho e abre a barriga do bebê, enquanto José belisca seu cérebro.

Lembro como se fosse hoje de ter visto esta notícia no Omelete em 2010. Lembro de ter visto as pessoas comentando a falta de respeito do artista. E era unânime. Até os ateus achavam de mau gosto. Na época, não vi ninguém dizendo que a polêmica era “coisa da geração leite com pera”, que era só “mimimi”. Não vi ninguém argumentando que “ué, mas zumbis são assim mesmo”, “zumbis não fazem distinção entre as pessoas, se é o Messias ou não”, ou “Não gostou? Não compre”.

Você iria reclamar se o artista pedisse à editora para não publicar a capa por estar preocupado com o público cristão? Percebe que quando as coisas nos afetam, defendemos nossas convicções com unhas e dentes? Não é engraçado que quando as coisas afetam os outros e não a nós mesmos, tendemos a dizer que é “mimimi”? Percebe por quê eu estou em desacordo com todos os marmanjos de 20 a 30 anos que afirmam que “não viram nada demais” na capa da Batgirl e que a culpa é da patrulha do politicamente correto?

MAS E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO?

Liberdade de expressão, ao contrário do que prega o senso comum, não é poder sair falando o que quiser deboas. É expressar suas convicções e entender que, caso você fira os direitos individuais de outras pessoas, deve responder proporcionalmente pelo dano causado. Isso é Constitucional!

Estamos discutindo aqui a negação dos direitos mais básicos de qualquer ser humano, o direito à vida e à dignidade. Esse é o ponto que as pessoas mais se esquecem de levar em consideração quando se trata de Liberdade de Expressão.

“Mas se fosse o Batman ou o Superman na capa ninguém reclamava!”

Pois é. Isso é o mesmo que dizer que você sofre de racismo inverso, que sofre preconceito por ser branco.
Esqueça sua vivência como homem branco heterossexual um pouco. Se você se enquadra nessa descrição provavelmente nunca sentiu falta do direito à dignidade porque sempre o teve. Existem pessoas que não têm os mesmos privilégios que você pela cor com que nasceram, pelo fato de serem mulher, ou por serem gay.
Parece absurdo eu ter que falar tudo isso considerando o acesso à informação que temos hoje em dia. Mas o que acontece é que ainda são poucas as pessoas que se preocupam em abrir os olhos e perceber que há uma infinidade de realidades diferentes da sua própria (lembra a tirinha de segunda sobre pensamento binário?).

E não estou falando aqui de só de crimes que resultam em morte (negar à pessoa o direito fundamental à vida), então não adianta muito se sentir um bom samaritano por não espancar quem você acha diferente.
Mas imagine se tirarem seu direito de se casar. Imagine se disserem que você não pode ter família, porque seu conceito de família é errado. Imagine o gerente do seu banco te olhando torto quando você vai aplicar seu dinheiro. Imagine alguém abusando da sua intimidade e depois dizendo que a culpa é sua, que você “estava pedindo”, que está “louco”,  que é “histérico” e que “é só brincadeira, não tem senso de humor?”. Imagine ver as pessoas sempre atravessando pra outra calçada quando você passa por elas. Imagine você não ter o direito de incluir seu parceiro como beneficiário no seu plano de saúde. Imagine seu filho sendo espancado no colégio porque acham ele “diferente”. Imagine alguém dizendo que tudo isso é “mimimi”.
Você viveu isso? Não? Que bom pra você, mas muita gente já. Custa tanto assim pra você deixar que as pessoas busquem os direitos que você já tem?

Grandes responsabilidades:

Veja a declaração do Rafa Albuquerque depois da repercussão da retirada da capa:

“É preciso aprender a ouvir, ter empatia por quem tem uma opinião diferente da sua. Se colocar no lugar do outro e considerar. Discussões na internet tendem a virar birras infantis, de um lado ou de outro”.
E continua:
“Não acho que uma revista que tenha a intenção de elevar a autoestima feminina deva ter uma imagem que pode sugerir o contrário”
Via Uol Entretenimento

O público feminino nos quadrinhos vem crescendo exponencialmente. Parece justo desconsiderar a expectativa que essas leitoras têm com sua representação nesse tipo de mídia? Não, né? Por incrível que possa parecer, nem tudo gira em torno de você. Goste você ou não, a participação da mulher na sociedade não é a mesma de 10 anos atrás. No século passado, a ideia de que uma mulher votasse era completamente absurda. No Brasil, adultério era considerado crime previsto no Código Penal, com pena prevista de 15 dias até seis meses de reclusão. A lei foi revogada (pasme) em 2005. Em uma sociedade que premia o garanhão comedor e marginaliza a piranha galinha, adivinha pra quem sobrava na história? A sociedade evolui. Deal with it.

Acusaram o Rafa Albuquerque de ter se acovardado diante da “patrulha do politicamente correto”. Eu acho que foi preciso muita coragem pra tomar essa decisão. Não é nem um pouco fácil admitir que você esteja errado. Não é fácil ouvir críticas, ponderar sobre elas, e depois “descartar” o esforço do seu trabalho. O artista, por fim, decidiu que não publicar a capa causaria um benefício muito maior do que deixá-la. Viu que evitar expor seu público a uma situação passível de causar desconforto era menos danoso do que deixar uns nerds #xatiados.
Algo que o Danilo Gentili provavelmente não faria.

-Feliz

Bom, tá aí. Gostaria de agradecer a ajuda das minhas amigas Mari, Laís e Carol, e à minha irmã, Vívian. Pessoas muito importantes na minha vida que contribuíram com sua opinião sobre o assunto e me ajudaram a escrever o post.

O espaço para os comentários é livre. Podem falar o que quiser, usei o post de hoje para expor minha opinião sobre um assunto que foi bastante comentado no universo geek essa semana. Ninguém precisa concordar comigo, meu objetivo aqui foi mostrar o por quê de eu ter decidido apoiar a decisão do Rafa Albuquerque de pedir a retirada da capa para a DC.
Mas eu realmente gostaria de ouvir o que vocês têm a dizer.

batima

Boa sexta-feira e até domingo, leitores!

Anúncios

50 respostas em “Friday, bloody Friday #117

  1. Primeiramente, ótimo texto feliz. Quando eu vi a capa, eu tive a mesma reação de ”mi,mi,mi”, mas ao longo do meu dia fui pensando a respeito, e lembrei que o publico da HQ são grande parte meninas e disse para mim mesmo ”cara eu to virando retardado”. Faz todo o sentido, a escolha do Rafael de pedir para não publicar a capa, pelo mesmo motivo que você sitou no texto. Muitos que leem a HQ, são jovem com mais ou menos a minha idade (16) e não leram a Piada Mortal.
    E pensando bem, esse capa ficou bastante assustadora, se eu fosse a Batgirl ali ficaria extremamente apavorado, que no caso ela está. 🙂

  2. Sua visão sobre a história da capa é show. Essa homenagem a Killing Joke cair na mão de “crianças” é meio bruto mesmo. A capa é demasiada bruta, portanto imprópria para uma faixa etária. Porém isso não a torna impublicável por tratar de um tema delicado.

    Mas achei um pouco contraditório o que é dito sobre Gentili e a liberdade de expressão.

    O que você diz sobre a liberdade de expressão é exatamente o que Danilo faz, ele pode fazer a piada que quiser, mas isso não quer dizer que não haverá consequências, qualquer pessoa-alvo da piada pode tentar entrar com uma ação contra ele para reparar possíveis danos.

    Agora me responda se você sabe que ele é um humorista que pega pesado, por que porra estás assistindo voluntariamente o show dele se você pode ficar ofendidinho com piadocas?
    Se eu leio um conteúdo pesado eu tenho que estar preparado para (e espero realmente que tenha) algo que possa me chocar.

    Tudo depende do público.

    • Querido Dennys, sobre a inocência das piadas do Danilo Gentilli e o livre arbítrio de assisti-las ou não. Não só as pessoas-alvo podem tentar entrar com ação, como elas já o fazem. Em bastante número inclusive. (acho que o caso mais famoso é esse: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2015/03/testemunhas-depoem-em-processo-de-doadora-de-leite-contra-gentilli.html ). O grande perigo de se falar o que bem entender e se esconder o argumento da liberdade de expressão, ou do “foi só uma piada” é que as pessoas só riem e acham graça porque elas concordam (exemplo, standup que ele faz dizendo que mulher feia deve agradecer por ser estuprada). Se você tem um pingo de humanidade dentro de si, você não acha graça no sofrimento das 50mil mulheres estupradas no brasil, por ano (http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/01/50-mil-mulheres-sao-estupradas-por-ano-no-brasil-diz-estudo.html). Considerando esse cenário apavorante para uma mulher brasileira, já tá tudo fodido, qual é o impacto que você acha que esse tipo de piada tem em uma sociedade que já tolera, pratica e banaliza o estupro? Como você acha que piadas sobre gays impactam nos ouvidos de quem já acha que “esse tipo de gente” não deveria existir? Eu respondo: violêcia.

      Agora sobre o livre arbítrio: Se você não concorda, então não veja. A questão não é tão simplista assim. Os efeitos catastróficos de massa desse tipo de piada não atingem, porque eu tenho discernimento do que é escroto e do que é justo (não posso dizer o mesmo das pessoas que espancam e estupram por achar que é ok bater em um cara afeminado, por achar que é ok transar com a menina bêbada demais pra consentir). Isso tudo sem falar na rapidez com que a informação corre. Eu vejo muitas coisas no facebook que não gostaria de NUNCA ter tomado conhecimento. Não quer dizer que eu li ou assisti ao video, só ler a capa ou o que as pessoas postam já é o suficiente de acabar com o meu dia insuflando um sentimento de pessimismo e frustração em relação ao mundo.

      Por fim, recomendo o documentário: O preço do riso https://www.youtube.com/watch?v=uVyKY_qgd54 . A propósito do tema.

      Abraço

      • “porque eu tenho discernimento do que é escroto e do que é justo (não posso dizer o mesmo das pessoas que espancam e estupram por achar que é ok bater em um cara afeminado, por achar que é ok transar com a menina bêbada demais pra consentir)”

        ISSO…
        é um problema!
        Um problemão na verdade.

        Não dá para querer pensar pelos outros, moça!

        “O grande perigo de se falar o que bem entender e se esconder o argumento da liberdade de expressão, ou do “foi só uma piada” é que as pessoas só riem e acham graça porque elas concordam (exemplo, standup que ele faz dizendo que mulher feia deve agradecer por ser estuprada).”

        Não. Definitivamente, não.
        O fato de você rir de uma piada não te torna racista/preconceituoso/estuprador, essas coisas são algo bem diferente.

        Esse tipo de pensamento abre precedente pra um monte de desgraças que acontecem na internet, onde pessoas tem suas vidas destruídas por causa de mal entendidos ou de um contexto errado.
        E realmente recomendo esse texto que o Neil Gaiman retuitou a algumas semanas sobre isso: http://gawker.com/justine-sacco-is-good-at-her-job-and-how-i-came-to-pea-1653022326

        O humor é um caso completamente distinto. Principalmente quando é direcionado a grupo de pessoas e instituições sociais.
        Imagine se eu levo esse seu pensamento ao extremo, de que toda piada que ofenda um grupo de pessoas deve ser considerada uma ofensa passível de punição, se eu fizer uma piada que pode ser considerada ofensiva a um partido político, eu estarei ofendendo os membros desse partido? Eu posso ser preso por isso?

        Veja são casos distintos, mas a premissa é mesma.
        É muito perigoso combater a babaquice com extremismo.

      • Correção:

        Em:
        “deve ser considerada uma ofensa passível de punição”

        Onde você leu:
        “passível de punição”

        troque por:
        “que deve ser combatida”

  3. Antes de tudo já vou avisar que não li “A Piada Mortal” e muito menos as HQ’s da Batgirl. Por mais incrível que eu ache algumas artes eu não curto muito o estilo ocidental dos quadrinhos. Juro que não sei o porquê, talvez pela constante troca de desenhistas roteiristas, etc. Por favor não me queimem vivo. haha
    Considerando que a capa é para a Batgirl #41 e que seu público alvo é feminino infanto-juvenil é sem sentido publicar algo assim. Eles devem sim homenagear o Coringa, mas tem que ser adequado ao público predominante. Poderiam muito bem fazer ela simplesmente enfrentando ele.
    Agora se a capa fosse para uma republicação da HQ “A Piada Mortal”, aí sim eu acharia errado censurar. Se a pessoa não aguenta nem a capa, muito menos a história que é para um público adulto (como disse eu não li a HQ, estou apenas me baseando pelo pouco que sei). É errado censurar algo se preocupando com um público que nem deveria ler em primeiro lugar.
    Eu sou contra 90% das censuras, porém colocar sangue e traição na Turma da Mônica por exemplo, não faz sentido.

  4. Como um fã de quadrinhos há muito tempo, eu digo que achei uma pena de tanto problema. Eu gostei da arte, muito mesmo, principalmente por ser uma homenagem a uma HQ tão marcante para qualquer fã do Batman. Mas, eu entendo perfeitamente o porque do artista pedir para ela não ser publicada, e porque as leitoras reclamaram tanto. Eu concordo que o tema não condiz com o público da Batgirl, até porque, quem lê The Killing Joke quer ver o Joker sendo o Joker, uma proposta totalmente diferente de uma HQ para o público feminino e juvenil ( Não dizendo que não existe uma mulher sequer que não gosta disso, claro ).
    Um ótimo post, Feliz. É ótimo ver que tem gente que ainda pensa no meio da Internet.

  5. Eu gostei da capa, achei ela muito bonita, mas eu realmente não acho que ela deveria ser publicada, principalmente em uma HQ para garotas. O Coringa é um cara instável, cruel, insano e violento, e isso é exatamente o tipo de coisa que ele faria em uma situação normal, mas não em um universo de uma jovem moça que luta contra o mal e a injustiça. Foi uma ótima homenagem (ao Coringa, claro), de qualquer forma.

  6. eu n tinha parado pra pensar nisso,ate pq n gosto de me meter nesses assuntos muito falados na internet,mas eu ja sabia q a bat-girl era uma hq de publico infantil por acompanhar fielmente o Ometetv.acho q por um momento,o artista pode ter se esquecido q aquilo era uma hq infantil.ou simplismente n percebeu q aquilo geraria o q gerou.as vezes vc pode adorar tanto um trabalho q fez,q n para pra pensar q na pesperctiva de outras pessoas aquilo podia ter uma visao bem diferente.
    sobre os comentarios retardados q vimos na internet,e tudo um aglomerado causado pela coragem q as pessoas tem de falar babaquices na internet so pq uma certa massa esta fazendo a mesma coisa.
    isso sempre esteve presente na humanidade e sempre vai esta.principalmente nessa era da internet onde qualquer ze-bundinha vai e chinga os outros e ta pouco se fudendo pro que isso vai gerar.
    isso infelizmente faz parte do ser humano,e poucos sao os q decidem pensar um pouco antes de falar o q pensa…
    😦

  7. Primeiramente ótimo texto Feliz, não tinha parado pra pensar tão detalhadamente o assunto e você abriu um pouco mais minha mente, mas ainda assim não concordo terem retirado a capa.
    Muitas pessoas se sentem prejudicadas é verdade, mas ainda é uma capa variante se fosse a capa comum concordaria em retirá-la, a solução seria deixar a capa para o público mais adulto e manter a original para o publico alvo.

    • Não é só a questão do público adulto, mas também (e principalmente) o público feminino que deve ser considerado, que é de onte partiu as reclamações.
      Eu acredito que mesmo a capa variante deve ser retirada, porque elas são feitas com intenção de atrair mais colecionadores.
      Da minha parte, acho errado capitanear em cima de assuntos controversos. O álbum do Tintin foi relançado pra se adaptar à realidade das reinvindicações raciais contemporâneas. Se eles lançassem uma capa variante racista, como era, pra atrair colecionadores que podem vendê-la a um preço mais alto no futuro, seria ruim da mesma forma.

  8. Perder leitores?
    Por mim pode ficar tranquilo, Feliz, não te abandonei nem quando descobri que tu é petista, então qualquer coisa que vier é fichinha. Hahahaha!

    Mas eu vou fazer comentariozão sim e se reclamar vai ter mais como resposta.
    E se não ler, não comento mais! Huuuum! *biquinho*

    Antes de mais nada, gostei da capa, ela é assustadora e mostra o Coringa sendo o Coringa, o lunático homicida doente que ele é, uma ótima homenagem ao clássico Piada Mortal… SE o contexto fosse esse, aterrorizante, adulto.

    Concordo que o Danilo Gentili é um porre.
    Apesar de que como humorista o cara não é engraçado, porém eu ainda dou um crédito e não esculhambo geral porque vejo que ele ainda se esforça pra fazer as piadinhas (mesmo que fracasse miseravelmente), mas é aquela coisa, é muito mais fácil achar graça no Cazalbé (e não é por ficar ofendidinho com piada não, eu tenho um posicionamento muito distinto quanto a relação humor x discriminação e acredito que você entra em uma contradição forte nisso, mas isso é assunto para outro momento).
    Como “opinador político” o cara só fala merda, tal como Lobão, Paulo Henrique Amorim, Olavo de Carvalho, etc… não dá pra considerar nada.
    É fácil não curtir Danilo Gentili e não te condeno por isso.

    E concordo com a sua ponderação sobre o público alvo da revista. Rafael Albuquerque teve uma atitude profissional aí, ele viu que aquilo não se encaixava para aquele público, naquele nicho, então voltou atrás. Concordo que foi uma atitude corajosa e mostra o excelente profissional que ele é, o cara tem uma visão acima do ego (coisa difícil num artista).
    Achei correta a atitude do Rafael Albuquerque e da DC. É uma revista, ela mesmo deve decidir o que publica, mas também é ela que decide para qual público publica. Antes de qualquer coisa deve pensar o que é comercialmente viável e se adequar ao seu público, eles fizeram uma pesquisa, viram quem comprava sua revista e se adequou a eles. Normal.
    A censura não veio diretamente de fora, veio de dentro da revista baseada no próprio mercado, não dá pra ser contra isso, as pessoas são livres para comprarem a revista que quiser e não vão comprar aquilo que as ofendem.

    Pessoalmente, eu não apoio apoio ativismo de nenhuma espécie (exceto o pro-Tibet) e muito menos os “politicamente corretos” das mídias por aí (eu lá vou apoiar gente idiota, tô fora, por mais que a causa seja aparentemente boa essas pessoas tem o dom de cagarem tudo), apoio decisões comerciais inteligentes e discernimento. Não dá pra ser extremista, seja do lado que for, não dá pra apoiar censura (pois hoje você pode ser o beneficiado, mas amanhã isso se volta contra você), você não pode ficar ofendido com qualquer coisa (se isso acontece o problema está contigo e não com os outros), mas também não dá pra apoiar zézinho que nem compra a porra da revista e quer ditar o que ela tem que publicar.

    Tomara que não tenham descartado essa capa completamente, seria legal ver algo parecido publicado em uma revista adequada num contexto adequado no futuro, pois ficou muito boa. Mas é isso, uma capa dessa pra menininhas de 10 a 16 anos, não dá, mano!

    E sobre o ad hominem, não tem jeito, é a internet, milhões de idiotas que tem uma opinião sobre tudo. Tem que ter muito discernimento pra saber mandar tomar no cu sem parecer mal.

    • Putz, cê mencionou um ponto importante!

      A reação veio do próprio público, e não de dentro pra fora. Isso já é bem diferente do Comic Code Authority, em que as decisões sobre o que vetar ou não o que vai ser publicado sem nem consultar o público. Nesse sentido eu condeno mesmo!!
      A propósito, sou petralha não, hauahaauh! Só quando não tenho escolha.

      • O Code Authority nem é interno não.
        O negócio foi criado por causa de pressão política externa, foi uma censura mesmo, com um ar (bem falso) de autorregulamentação.

        Isso é diferente até das decisões internas da revista, em que os diretores/editores tomam alguma decisão de veto sem consultar o público (o que seria um decisão interna da revista) por política da empresa mesmo.

        O Code Autorithy foi completamente abominável, praticamente uma censura direta mesmo.

  9. Feliz eu fiquei muito puto com isso ai enquanto o mundo ta avançando pra igualdade parando com discriminações etc feministas e esses grupos que só server para se vitimizar na sociedade estão querendo regredir mulheres são as protegidas da sociedade hoje em dia se voce usa o Tumblr voce vai ver que quem ta em perigo hoje em dia homens brancos e heteros que esses grupos consideram como privilegiados é o pior é como tem HOMENS que querem perder seus direitos de liberdade de expressão e de proprias leis pra se submter ao Feminismo mais conhecido hoje em dia como Feminazismo por que em paises de primeiro mundo não tem necessidade alguma de existir e nem países de terceiro mundo também por que nesses paises onde a mulher é oprimida ela não é especial por isso por que esse é o menor dos problemas por lá IGUALDADE SOCIAL devia ser algo pra os DIREITOS HUMANOS lidar não um grupo radical que quer diferenciar todo mundo por raça e sexo e falar quem é privilegiado sendo que antes de ser homen mulher preto branco somos seres humanos e todos merecemos tratamentos IGUAIS e todos somos capazes ninguém por sexo e raça é alejado e é isso que o Feminismo e esses grupos RACISTAS que dizem que combatem desigualdade mas não ter orgulho nem da propria cor imagina o respeito por si mesmo O ENGLeo Amigo do Zangado tem o mesmo pensamento que eu e eu acho que voce deveria participar de um Debate Filosofico com ele falando sobre Igualdade Social por que seu pensamento é muito precario nesse assunto mesmo eu gostando muito de alguns dos seus pontos de vista Vlw Flw

    • Olha… eu acredito que pensamento precário seja o seu, mesmo.
      Por tudo que eu escrevi no texto, eu dei meus argumentos sobre o porque essa ideia de que “ser vitimista” é equivocada. Você realmente acha que somos nós, homen brancos héteros, que sofremos? Você conhece alguém que já foi ameaçado de ser expulso de casa porque disseram “filho meu não vai ser hétero, não” ou “prefiro filho bandido do que filho hétero”? Faça mais uma vez o exercício de empatia. Imagine sua irmã (se tiver uma) indo a um bar e vários caras se esfregando nela e passando a mão sem permissão. Imagine sua irmã indo pra casa à noite passando por uma rua deserta e um cara aparece perto dela, imagine o medo que ela deve sentir. Isso é “feminazismo”? Really?
      E veja mais uma vez o quadrinho de como o negro é representado e repense SERIAMENTE a questão de quem é que está “se fazendo de vítima”.
      É como eu disse antes, homens brancos héteros não sentem falta de certos direitos por que já os têm. Agora imagine você nem poder andar de mãos dadas na rua sem.
      Eu já vi uma vez o twitter desse Eng Leo. Fiquei extremamente chocado com as coisas que vi lá e preocupado com os valores que um formador de conteúdo transmite ao público. Você REALMENTE deveria reavaliar essas opiniões, porque disso aí que você falou para chegar ao ódio, é um caminho bem curto.

    • E você precisa entender que “IGUALDADE” e “EQUALIDADE” são coisas diferentes. Pela sua lógica, não deveria existir estacionamento para idosos nem pra gestantes, ou assentos diferenciais para cadeirantes nos ônibus, porque, afinal, somos todos iguais. Veja além do contexto social que você está inserido e diferente do que você vive e você vai perceber que tem gente que não consegue ter acesso aos mesmos direitos que você. Leia novamente o texto, por favor, e pense a respeito.
      Pondere sobre as opiniões do que os outros falam, também, seja na tv ou seja no youtube. Analise bem antes. Não precisa tomar o que eu digo como verdade, mas ao menos ouça e reflita.

    • O mundo só avança para a igualidade justamente por causa desses “grupos”. Se não fossem as “feminazis”, as mulheres não poderiam votar e nem sair pra trabalhar fora de casa. Pense por esse viés, se a sociedade seria igual mesmo se não houvesse quem dissesse “ei, queremos esse direito para nós também.”

      • Eu te respondi ontem Feliz mas não foi o texto por algum motivo vou reescrever…
        Pra deixar bem claro que eu não tenho nada contra você essa discussão é apenas um ponto de vista de diferente sobre esse assunto.
        Eu achei oque você falou e os pontos que você tinha para dar mais ofensivo de que alguém racista ou machista,por que você falar que a raça e a cor fazem a pessoa incapazes compara elas com aleijados e pessoas que precisam de privilégios de verdade mesmo sendo privilégios para viver não qualquer pessoa que se sente oprimida por qualquer coisa Feminismo não definiu nada na sociedade muito menos revolucionou alguma coisa,essa historia de mulher não podia votar e trabalhar etc é pura besteira por que foi dito que mulheres podiam votar mas a maioria não fazia e podiam trabalhar mas a maioria também não teve interesse não tinha uma lei até aquela época que era contra a mulher as pessoas simplesmente faziam oque queriam igual hoje em dia nas notícias sempre falam mulheres participam em 25% da politica etc ta bom que deviam ter mais mas aonde que a culpa é de Homens Brancos e Héteros ai? por acaso tem alguma lei ou alguma pessoa que fala ah você é mulher não pode ser engenheira pelo oque eu vejo tem homem colocando coragem e a mídia dando coragem para elas fazer isso mas se elas preferem ser domesticas,manicures,cabeleireiras e etc a culpa não é nossa por isso.
        Nos Estados Unidos um dos principais argumentos das feminazistas é a diferença salarial que é inexistente o famoso Wage Gap no passado essas mesmas feministas aprovaram uma lei que a mulher deveria trabalhar aproximadamente 10% à 25% a menos que o homem e descontar essa mesma taxa do salario por que elas falavam que queria igualdade e o sexo limitava a quantidade de produção delas(nuss é mulher se considera inferior à homem e ainda se diz feminista kkkk) e hoje em dia elas querem esse 10% à 25% no salario mesmo trabalhando menos…
        Você falou o seguinte você não pode falar desse assunto por que você é branco ,homem e hetero sendo que quando você fala isso quem é racista é você por dizer sobre oque eu posso ou não opinar sendo que você não tem esse direito e eu tenho a maior certeza do mundo se tem alguma coisa que te faz uma pessoa incapaz sexo,raça e opção sexual não é oque limitam elas e você falar que eu não entendo disso por que não é eu que sou oprimido ja é palhaçada ve qual é a penalidade pra quando um homem é estuprado ou até um meninho é estuprado eu já vi nos Estados Unidos uma Babá que estuprou um menino de 12 anos e ela pegou 2 anos de cadeia e engravidou quando o menino fez 18 ele teve que pegar pensão pro filho,vê qual é a penalidade que se tem quando um negro te chama de branco e etc
        Agora veja os seus privilégios feliz por ser Homem Branco e Hétero(eu acho kk)
        -Você é obrigado a servir o exercito independente da sua vontade diferente das mulheres
        -Tem 75% de chance a menos de ficar com a guarda dos seus filhos
        -Não tem Cotas para a sua raça tem que passar na faculdade literalmente na raça e é muito engraçado isso os caras falam que combatem o preconceito mas ligam logo Negros=Pobres burros incapazes de passar ou entrar normalmente em uma faculdade
        -Você é estuprado a mulher paga no maximo 4 anos de pena e as pessoas vão te chamar de boiola por que assumiu que foi estuprado e denunciou
        -Você é visto na sociedade como um potencial assassino e estuprador mesmo sem nada comprovar isso,isso vem do seu sexo e raça diferente das mulheres por que pelas feministas elas não são capazes de ser pessoas ruins e não é a personalidade e o carisma que define a pessoa e sim o sexo… depois elas dizem que combatem o sexismo.
        Agora vou te falar a penalidade pelas cosias que listou ali.
        “Você não sabe como é ser abusado sexualmente já que é homem” kkk não acho que falando isso voce vai comer mulher mas se a mulher apenas acusa o cara de agressão ou abuso ele pode pegar uma pena de 4-12 anos com perigo de ser morto,estuprado na cadeia ou nem chegar na cadeia e ser linchado na rua só por essa acusação,alias nos Estados Unidos vem acontecendo muito isso foi dito que desses anos pra cá “Estrupo” e “Abuso Sexual” vem sendo tratado não como a definição da palavra mesmo exemplo: Tem um negocio que essas feminazistas criaram que se chama #starerape ou seja só de você olhar uma mulher no metro no ônibus qualquer lugar ja é um abuso sexual e isso eu falo mesmo se for olhando pro braço pra elas já é um Estupro e varias falam que pegaram PTSD(uma síndrome que soldados quando voltam da guerra tem por verem seus companheiros morrerem) elas alegam que pegaram isso desse tipo de abuso tanto que 60% das alegação de estupro das mulheres são falsas ou não são estupros foi feito essa pesquisa ano passado sendo que com os homens 89% das alegações de ESTUPRO de verdade são verdadeiras é eu acho verdade essa escalação por que se o cara fala que foi estuprado a policia vai rir da cara dele então tem que ter coragem para se humilhar a esse ponto sendo que você foi a vitima mas como você é Homem Branco e Hétero você não pode ser descriminado,estuprado por que você é privilegiado não é FELIZ?
        Vou dar as minhas considerações finais eu tenho orgulho de ser Branco Homem e Hétero por que eu nunca precisei de privilégios na minha vida e minha raça sexo e opção sexual não são considerados inferiores assim se eu conquistei algo na minha vida eu sei que foi lutando não me vitimizando para justificar minhas inca passibilidades se eu fosse negro,mulher e homossexual eu realmente ia ficar ofendido e oprimido com o mundo ao meu redor que fala que combate o racismo e sexismo mas coloca minha raça ou sexo inferior ao outros usando ESTERIÓTIPOS que não me definem como pessoa por que tirando o orgão sexual e cor da pele todos nós somos primeiramente SERES HUMANOS igualmente capazes, igual Marthin Luther King queria que quando uma pessoa visse a outra não vesse diferença pela cor você acha que oque ele queria era fazer o contrário uma vingancinha contra os brancos coisa infantil? Por isso que nas redes sociais você vai encontrar mulheres contra o feminismo,por isso você vai ver negros que são contra cotas essas pessoas se consideram iguais e sabem que merecem o mesmo direito do proximo não é raça ou sexo quem te faz como pessoa é a sua personalidade e carisma se você acha o contrario quem é machista,sexista e racista é você mesmo por achar que raça e sexo te definem ou de tão um peso como se fosse parte de você como se tivesse escrito no teu DNA quem usa Estereotipo de raça e cor é parente do Hitler que se achava a raça Ariana superior as outras tire suas próprias conclusões…
        Vou te deixar um links aqui:
        Esse fala desse mesmo assunto da capa do Batman:https://www.youtube.com/watch?v=etgZgoZG1jI
        Pagina feminazista que espalha ódio contra os homens(kkk se você trocar homens por judeus vai ver a semelhança delas com nazistas):https://www.facebook.com/eozomi?fref=ts
        Pagina muito boa que mostra a verdade do feminazismo:https://www.facebook.com/ExposingFeminism?fref=ts
        Espero que você responda Vlw Flw

      • Caaaara…
        Cê usou todos os clichês de “iuzómi” que as feministas zoam. Só faltou falar do Titanic. Mas vamos lá.
        – Serviço militar obrigatório É UMA BOSTA. Eu odiei ter que me alistar pra essa BOSTA e implorei pra ser dispensado. Mas diga uma coisa, quem em sã consciência lutaria para ter essa obrigação? Se é uma coisa ruim que fode com a vida de nós HOMENS, nós homens temos que lutar contra isso. Principalmente porque essa bosta não foi imposta a nós pelas mulheres.
        -Sobre a chance de ter a guarda do filho: Se for criança até dois anos, muitos casos de quando ocorre o divórcio, a guarda vai para a mulher porque ela amamenta. Nos outros casos, é considerado a escolha dos filhos e as condições de sustentar.
        -Não tem cotas para brancos porque é a coisa mais ridícula que existe no mundo. Seria uma ofensa à comunidade negra, visto que historicamente são os menos privilegiados. As cotas são para garantir a equalidade. O branco cresceu às custas do negro durante centenas de anos e o preconceito ficou enraizado na sociedade com isso. Aí ocorre a marginalização e a dificuldade ao acesso à educação. Imagine assim: duas pessoas vão apostar uma corrida. Uma delas está com as pernas amarradas. Acha mesmo socialmente justo deixar milhões de pessoas concorrendo por vagas na universidade se começaram a corrida de pernas amarradas?
        -Você não é visto pela sociedade como estuprador. Mas sabendo dessa realidade e sabendo que a mulher não tem como diferenciar só de olhar quem é e quem não é, ela se protege. Sensato, não? Agora, feministas são ruins? Nunca ouvi falar de grupos feministas que saem matando ou estuprando.

        Eu sinceramente espero que você esteja brincando quando disse isso de que mulher podia votar, mas não queria. Procure no google pelo movimento das “sufragistas”. Inclusive, eu espero que você esteja brincando também sobre elas ESCOLHEREM trabalhar de manicure e essas coisas “de mulher” ao invés de buscar outras alternativas. Isso é reflexo de quando elas eram confinadas em casa porque não podiam trabalhar e aprendiam o ofício. E isso se reflete até hoje quando um idiota pretere a mulher para um cargo. Meu Deus, você realmente precisa sair da casinha.

        Você pode sim comentar, mas tenha bom sendo. Sabe porque somos zoados caso soframos estupro feminino (uma coisa beeeeem mais rara)? Por causa de machismo. Algo que elas combatem. Sem machismo você não seria zoado por chorar, por curtir coisas “de mulher”, porque o machismo coloca ela como inferior. Então, agradeça à luta delas.

        Sobre esses links, cara…
        Pelo amor de Deus, eu realmente espero que você esteja de brincadeira…
        Um é uma opinião igual as muitas que eu já ouvi e contestei aqui. Acho que você nem leu meu texto.
        A tal página, ok. Mas me diga. Você acha que, por exemplo, todo muçulmano é terrorista? Então, a mesma coisa.
        Essa página no facebook não prova nada. É só uma página feita por pessoas que já têm opinião definida sobre o assunto e fazem posts para validá-la. É completamente parcial. É a mesma coisa que querer explicar a realidade do país através da revista Veja.

        Entenda uma coisa (quanta à raça também): não é como as pessoas SE VÊEM. É como o contexto histórico as vem tratando. Imagine a seguinte situação: Um homem branco e um negro estão saindo das Lojas Americanas e o alarme dispara. Pra cima de qual dos dois você acha que o segurança vai? Se você tiver imaginação, vai perceber que essa lógica se estende para muitas situações.
        Entenda também que mulheres não são contra os homens. Feminismo é pró-mulher. Eu nunca, NUNCA me incomodei com nenhum dos debates que elas propõe. Não sou a favor de tudo, mas ninguém precisa ser. Se você parar pra pensar, as reivindicações das mulheres não afetam em nada os direitos que já temos. Eu realmente não consigo entender porque tem tanto homem dodóizinho por aí. Minha teoria é que por tanto tempo fomos doutrinados que temos direito SOBRE elas, que quando elas dizem que NÃO, já ficamos revoltados. Além disso, como eu já disse, feminismo não mata. Machismo, mata.
        Você pelo jeito se informa sobre assuntos como o feminismo por páginas que já são contra. Experimente ler Anne Frank. Experimente conversar com feministas. Experimente tirar dúvidas com elas. Porque essa forma de se informar sobre um assunto falando com os detratores, é a mesma coisa que falar sobre antissemitismo com um neonazista.
        E isso eu lhe imploro, não forme suas opiniões baseado no que o Eng Leo diz. Ele é um idiota de marca maior que não tem noção NENHUMA de sociedade. Como um cara criado em berço de ouro tem moral pra falar qualquer coisa se a realidade dele é diferente de todo mundo abaixo dele na pirâmide social? Assista “Uma outra história americana”. Muito do discurso dele se parece com o personagem do Ed Norton. Um Neonazista. Cuidado. Por favor, não caia na onda desse cara.
        E por favor. Releia o texto. Eu realmente estou torcendo para que tudo isso que você tenha falado seja brincadeira.
        Eu disse que não permitira intolerância. Por favor, não comente mais aqui.

      • Você pode me silenciar Feliz mas não pode silenciar a voz de todos,Você xingando o EngLeo de idiota é muito infantil o cara tem a opinião diferente da sua e você compara ele com nazista sendo que oque ele debate é produtivo e faz pensar é a intolerância sua.Eu nem ninguém liga para oque aconteceu a 500 anos atrás e tenho certeza que basear as leias e o Igualdade Social nisso é uma estupideza sem tamanho.

        Cotas Raciais é justo meu deus as coisas que eu leio nessa internet e qual é a ligação dos homens brancos cresceram as custas dos negros com cotas raciais hoje em dia oque é isso uma vingança? se fosse um programa para que pessoas que são pobres e não conseguem entrar em uma faculdade e cotas fossem para qual é a sua renda ou da sua família para você ser pobre e poder ter a Cota ia ser muito mais justo porque se a pessoa é negra e rica qual a dificuldade dela em entrar em uma faculdade boa? simplesmente não tem resposta.

        Você fala que os pontos que eu usei são clichês e que não existe feminazistas porque oque elas fazem são brincadeiras(kkk meu deus cara você é uma pessoa culta seja mais sério),Você acha que não existe o feminismo radical bom vou te falar umas verdades então… Nos USA essas feminazis desgraçadas pra mim podia matar tudo escória da sociedade mata criança não é brincadeira feliz parou de ser um joguinho racial e sexual quando a porra ficou seria vai se vitimizar e ainda querer matar garotinhos no inferno… bom mas isso não vem ao caso elas estão criando misandria em uma escala enorme e que não se pode fazer nada elas simplismente estão abortando os filhos em clinicas clandestinas pelo fato deles serem masculinos(voce fala mal do danilo gentilli mas n vejo nenhum humor aqui sinceramente.),parando de amamentar os filhos homens para que eles sejam tão delicados e fracos quanto as mulheres meu deus…

        Na moralzinha Feliz eu perdi o respeito por você e nesses tempos pra cá to perdendo com o Zangado também não sei se foi influencia sua isso porque antes ele aceitava criticas e opiniões mas agr ele tá arrogante e acha que critica e opiniões diferentes são ofensas ta ficando um babaca por sinal parecido com você eu sei quem foi Anne Frank e etc mas na real eu não ligo se Preto(sim pretos a partir do momento que negros começarem a me chamar de caucasianos eu chamo eles de preto também e se eu fosse preto ficaria com orgulho da minha cor não usar ela sem amor proprio pra conseguir oque eu quero sem trabalhar e ser um vagabundo dependente do governo) tivesse no lugar de Branco e branco tivesse se vitimizando não ia arrumar nada ia ficar com essa guerrinha social infantil que só da munição pros radicais fazer oque quiser com homens e brancos que não tem culpa nenhuma do passado e mesmo você que não tem orgulho e acha que você tem o peso daqueles que escravizavam negros e obrigavam as mulheres à ficar em casa e acha que deve sofrer por isso e não todo mundo se respeitar e ter as mesmas oportunidades então eu so muito mais o EngLeo… A Dilma ja fez a lei do Feminicidio que valoriza a vida de uma mulher mais do que a de um homem coisa de socialista cheio de frescura espero que você tenha essa mesma opinião quando o mundo julgar voce pela sua raça sexo e opção sexual pra falar o seu nivel de privilegiado quando esse momento chegar eu te aconselho a fazer tirinha pro HUMANAS.

      • Eu sei que ficou dificil de entender o texto mas é q eu n tenho saco pra pontuar ainda mais quando to nervoso

    • Cara, perdão, vou falar sinceramente e espero que isto sirva pelo menos de reflexão, você é muito alienado, possui a mente fechada, escreve ridiculamente mal, e possui todos os argumentos mais furados, clichês, e vergonhosos que vemos de pessoas que nunca sequer seguraram um livro de sociologia pra analisar a questão racial e a situação da mulher no país (e no mundo). Li todos os seus comentários, e o do Feliz, e espero verdadeiramente que você tenha 14 anos, porque pelo menos o que fala é “justificável” ou que pelo menos é “entendível”. Cara, sério. Cresce um pouco mais até pelo menos ler umas 20 páginas de Darcy Ribeiro ou Kabengele Munanga.

      • Angelo, eu como mulher vou me manifestar, e espero ser, no máximo ouvida, já q, pelo visto, respeitada nao serei. Imagine situações simples do seu cotidiano como, voltar da aula para casa, pegando o metro, eu e uma colega de sala estávamos conversando qdo de repente, entra um homem q mais me lembra um mendigo, sujo, com roupas rasgadas e fedido, com uma barba comprida, literalmente (até hj me pergunto como ele conseguiu entrar sem ser barrado pelos seguranças) ele começa a me encarar pq eu tinha peitos grandes na época(fiz cirurgia, e reduzi, fim de papo), eu estava usando uma camiseta, com botões na frente, com um top reto para nao ficar a mostra e nao chamar a atenção , mas nao adiantou minhas roupas acabaram ficando caídas, mesmo eu ajeitando, e os botões da camiseta estoravam, nao ficavam fechados; enfim, ele sentou e começou a me olhar de uma maneira assustadora, do tipo: “Espera só o trem parar e vc descer na sua estação, q já já eu te estupro, viu.” Vi um banco vazio na frente do vagão, lá do outro lado, na hora, nao pensei duas vezes, peguei minha amiga pelo braço e fui, qdo ví, adivinha só??
        Estávamos sendo seguidas pelo tal homem!! Tive q descer do trem numa estação q nem era a minha, morrendo de medo, nao pude nem fazer uma denuncia pois nao houve crime, e ainda assim nao havia como identificar o homem, e chegando em casa, tive q ouvir da minha mãe sobre minhas roupas, q eram uma camiseta de manga comprida, botas de cano curto e calça jeans. Agora eu te pergunto, em quantas situações vc já se deparou assim, e teve q ouvir q a culpa foi sua, ou até saber q a sua concorrente para uma vaga de trabalho, com quesitos, competência, distância até o local de trabalho, escolaridade, serem, basicamente os mesmos, ter sido contratada, apenas por ser mais bonita, ou mais sexy doq você?? Somos constantemente julgadas, nao somente pelos homens, mas também por outras mulheres, q acham q é válido exigir respeito dos homens, qdo elas próprias nao se respeitam, falam mal pelas costas umas das outras, inventam ou espalham boatos, falam sobre suas tão comentadas reputações, q não as diz respeito. Vc sabe q a culpa nao foi sua, e a vida é sua e nao deveria dar justifivas para ninguem além de sí, (qdo se trata de suas vida, nao em relação aos outros, e sua opinião a respeito aos mesmos) próprio, mas ainda assim outras pessoas se acham no direito de te botar no seu lugar, e se vc sair, estará errada e será julgada, reprimida e repreendida, pelos seus semelhantes e seus opostos.

  10. A piada mortal foi o primeiro gibi de heróis que eu li, devia ter uns oito ou nove anos e sempre quis ler um gibi de supers e achei esse ai por engano, não cheguei de terminar de porque a HQ não era minha.

    Agora sem enrolação essa capa da Batgirl foi um assunto que me deixou pensativo durante muitos dias, e posso dizer que minhas primeiras conclusões, são bem diferentes das que agora possuo (e que, porventura, pode mudar inúmeras vezes)
    Eu havia ficado profundamente chateado pela capa ser cancelada, porque é uma das capas mais bonitas dos últimos tempos (levando em consideração se você leu ou conhece A piada mortal), mas não acusei politicamente incorreto nem mimimi, não sou alguém de ter reações absurdas na internet, mas de início concordei com alguns comentário mais reflexivos e moderados acerca do assunto.

    Acredito que a capa não deveria ser publicada pelo fato do público alvo não ser o adequado, pelo fato das pessoas que não tem bagagem cultural de um leitor mais experiente de HQ’s não entederem porque sua heróina está com tanto medo na capa. Alguns de nós sabemos que Barbara Gordon superou o ocorrido (na verdade eu conheço a fase, mas não a li) e deu a volta por cima, e acredito que em uma situação traumática como esta, por mais que a pessoa tenha superado o ocorrido e seguido em frente existem sequelas que vão ficar com a pessoa pra sempre, mas esse não é o foco, a questao é que nenhuma leitora que faz parte do público alvo tem a obrigação de saber tudo isso pra tentar entender uma capa, que dentro do contexto é linda e fora dele pode ser considerada ofensiva.

    Mesmo assim não é retirando a capa que se resolve o problema, o estupro não deixa de existir porque você retirou uma capa ofensiva, e eu tenho certeza que as pessoas que lêem Batgirl conhecem alguém que já foi sofreu violência sexual, assim como alguém que gosta de usar aquele baseado, acho que a capa na verdade poderia ter sido usada como campanha contra a violência sexual e atentar mais as pessoas sobre isso, pois todo mundo sabe que o mundo não é perfeito e (acho) que as pessoas são naturalmente indivídualistas e más.

    A DC poderia ter feito algo que não é trabalho dela e tocado numa ferida importante, utilizar um personagem importante, com um grande alcance, para falar sobre um assunto sério e quem sabe, mudar o pensamento de algumas pessoas, poderia ser feito, mas não foi, e nem acho isso ruim, a capa realmente não tinha a ver com o público-alvo, e é realmente um caso de ter empatia para com o próximo, você como homem pode não ver nada demais na capa, mas você não vê sobre a ótica de uma mulher que pode vir, que pode se ofender e até mesmo sofrer esse tipo de situação.

    Esse assunto sempre me leva a pensar sobre outros casos parecidos, mas por enquanto vou ficando por aqui, e peço perdão pelo vacilo se falei alguma bobagem e devemos estar sempre abertos (com consentimento, é claro hihihihihi) a debater.

    E essa capa d’A noite dos mortos vivos é um negócio interessante, não achei de mau gosto, mas bem excêntrica, é feita pra chamar atenção mesmo, mas depois de olhar algumas vezes gostei do resultado (ou não, mas achei a capa bem interessante mermo)

  11. Vou ser breve, porém incisivo. A capa não contém gore, conteúdo sexual, violência gratuita tampouco algo do gênero (a HQ da Batgirl tem mais violência gráfica e insinuações que isso ai), foi tirada do ar simplesmente POR REMETER a um arco do Coringa que contém tudo isso. Todavia, como o próprio Feliz deixou claro ao longo do texto, o público alvo não conhece A Piada Mortal e, desta forma, é impossível que o mesmo seja capaz de fazer tal associação. Não sou contrário ao feminismo, muito menos adverso a ideia de igualdade de gênero e afins, no entanto não vou concordar com a retirada desta capa variante do ar, visto julgar a mesma como inerentemente desnecessária e retrógrada.

  12. Putes um textão tão inteligente e pensado assim da gosto de ler. Você é mais inteligente que eu pensei Feliz. Fico feliz de poder presenciar uma discussão inteligente. Já pensou em ser escritor ou advogado? kkk . Bom indo ao assunto. Eu concordo e descordo com a retirada da capa. Concordo porque violência física e sexual que a capa sugere é repulsiva e desagradável. Quando falou para pensar na situação e olhar a capa me senti triste na hora. É algo que acontece. É muito real. Eu ja sofri algo assim. O sentimento é de medo, de sujeita, de impotência. Imagina quantas sofrem atualmente por isso? De seus namorados, maridos, familiares ou um tarado oportunista. É preciso respeitar isso. O que é difícil não é? A gente só busca entender as coisas quando acontece conosco. Entendo perfeitamente a posição do desenhista. Essa capa que seria mundialmente publicada tem um poder, forma opiniões e atinge as pessoas. Ter coragem para voltar a atras, perder tal oportunidade por não querer passar algo de ruim é algo admirável e para ser respeitado. Quanto a opinião de maioria masculina nunca vai compreender. Nascer homem, hétero e branco é de fato não super fácil, mas é mais fácil. A não muito tempo, mulheres não eram gente. Eram algo pertencentes ao homem. Onde estes podiam mandar nelas, bater, comer (perdão a expressão, mas traduz a gravidade e falta de amor na questão), trair e sumir por dias. O que a mulher faria? Não podia votar, não podia trabalhar, não podia divorciar, ter moradia própria,etc. A anos mais antigos mulheres apenas serviam para dar títulos e ter herdeiros homens, não tinham vaga em cargos de poder. Eu li um livro muito interessante chamado “Uma Cama na Varanda” que conta bem essa evolução a partir da sexualidade. Quando os homens pensavam que a mulher era a única responsável pela continuação da humanidade e tudo era paz. No segundo em que os homens descobriram a sua participação tudo mudou e virou a história notoriamente conhecida. Não sou feminista (atualmente tão banalizado e total desrespeito as guerreiras das décadas de 70/80), mas acredito que precisamos ser protegidas. Protegida, termo que é facilmente (ou convenientemente) confundindo com privilegiadas por sua condição de sexo feminino. Apoio a igualdade, mas apenas até onde formos iguais o que sabemos que não é bem assim. Por isso, por respeito que as mulheres apoio a retirada da capa, que possui uma repercussão muito maior e visível do que o recheio de um arco das histórias em quadrinhos. Agora porque sou contra. O motivo se liga única e exclusivamente pela história. O personagem assim. Não considero motivo a retirada da capa porque o publico da capa é feminino e nem infanto-juvenil. Ler os quadrinhos é algo opcional. A história não mudará retirando a capa e nem vai impedir que as pessoas lendo seu conteúdo se sintam mal pelo vilão que o Coringa é e pelo o que ele fez a Barbara Gordon. Acredito que a capa faça parte disso, mas acho que ela com certeza será mais vista que os quadrinhos serão lidos. Quem não gosta não deve lê-lo(consigo acreditar que algumas pessoas que odiaram essa capa acham normal a Daenerys ter casado,ter tido relações sexuais e ser maltratada pelo irmão aos 13 anos. Estou lendo o livro um por favor não me de spoiler ><). Crianças e jovens NÃO devem ter acesso a esse conteúdo. Isso ja é responsabilidade dos pais. As mulheres que não gostam ou se sentem mal com o conteúdo não devem procurar para lê-lo. Por isso sou a favor e contra. A favor porque isso dói(eu se) e tem uma repercussão bem mais forte que a leitura dos quadrinhos. Contra porque essa capa apenas reflete o que o Coringa é, principalmente na HQ Piada Mortal que é um conteúdo opcional. Espero que não seja uma leitura cansativa.

  13. Eu não acho que tirar a capa foi a decisão a decisão mais correta possível, mas foi a decisão do artista e isso eu tenho que respeitar. A maioria das coisas que você compartilha vai acabar incomodando algum grupo de pessoas, e isso é algo extremamente difícil de evitar. Eu acho que nessa questão da capa, talvez tenha sido algo muito mais pessoal do que as pessoas estão imaginando.

    O cara fez um desenho, e pessoas se manisfestaram dizendo que se sentiam incomodadas. O que ele fez? Decidiu retirar o desenho pra evitar que mais pessoas se sentissem da mesma forma. Ponto final. Foi uma decisão do cara, muito sábia ao meu ver.

    Agora eu acho que não seria necessário essa retirada da capa. Se o problema realmente for como divulgam — de crianças e adolescentes encontrando essa capa casualmente enquanto compravam obras mais leves. Bem… aí sim temos um problema, mas com certeza existem outras soluções, mesmo que a retirada da capa seja a mais fácil delas.

  14. Os trabalhos de Moore sempre foram providos de grande profundidade. Moore sempre buscou retratar a decadência da sociedade. Assim foi em “V for Vendetta” e “Watchmen”. Tais retratações por vêzes mostraram-se chocantes, tal como no caso de “A Piada Mortal”. Como bem colocou o Feliz, as mais variadas reações podem ser produzidas nos leitores ao observarem a capa comemorativa e essas reações são resultados das múltiplas experiências vividas por cada pessoa. O importante, como ele quis salientar, é procurar respeitar as opiniões dos leitores e o posicionamento do desenhista. Parabéns Feliz, pelo caráter e pela coragem de postar o que incentiva o respeito e a compreensão. (Palmas)

  15. Olá Feliz, tenho certeza que esse post vai causar altas tretas, hehehehe, tratando-se de boa parte das opiniões que você expôs eu particularmente não concordo e nem discordo, eu sou um homem branco hétero e nunca tive problemas relacionados a preconceito, por isso eu não tenho o costume de não me importar com o assunto já que não não tem nada haver comigo e só me posicionar perante situações complicadas relacionadas com desigualdade para proteger alguma pessoa com quem eu me importo, no geral, eu e meus amigos estamos sempre fazendo piadas um dos outros no melhor estilo humor livre, acredite ou não, estudei toda a minha vida numa escola PARTICULAR no interior do Ceará em que a maioria dos alunos é NEGRA E PARDA, os brancos são minoria e não me lembro de nenhum caso do famoso ”preconceito reverso” que tanto se fala e sei que o SER HUMANO adora usar diferenças como motivo para se hostilizar o próximo, o mesmo de negros contra brancos se for dada a oportunidade, acredito que isso vem diretamente da índole e valores construídos separadamente por cada pessoa, sim, não acredito no ”fato social”, acredito que independente da minha condição ou época posso escolher que tipo de ser humano quero ser, sendo assim também NÃO ACREDITO NO RACISMO COMO ALGO IMPLANTADO E NORMALIZADO NA SOCIEDADE, acredito que se uma sociedade é racista ou sexista, é pq a maioria das pessoas resolveu ignorar a amplitude do que chamo de ”liberdade da experiência humana” e escolheram ser assim, hostilizar umas as outras da maneira que podem sendo que essa hostilização é muito maior em minorias por conta de sua vulnerabilidade. No caso de acontecimentos mais recentes como o de cotas para os negros ingressarem nas faculdades, admito que não entendo o motivo de os negros aceitarem tal coisa, acredito que entrar com cota é uma vergonha, e não me importo com ”as vagas que eles tomam” pois sei que só preciso fazer melhor que todo mundo pra garantir a minha, hehe, no fim das contas eu só lamento pela limitação da liberdade de expressão, afinal sem caras como o Danilo Gentili pra provocar e instigar as pessoas acredito que o mundo seria bem menos divertido e é com esse tipo de ação que a sociedade vem conquistando cada vez mais liberdade, eu quando criança gostava de assistir de tudo(tudo mesmo) e não me tornei nenhum psicopata perturbado por isso, não digo que devemos expor crianças a esse tipo de coisa, só acredito que devemos ampliar o acesso a vários tipo de informações diferentes para assim passarmos a conhecer o ”outro lado da moeda” das coisas e nos tornarmos menos manipuláveis e mais livres sempre seguindo a grande regra do senhor k, “Eu acho que todo mundo tem o direito e o dever de fazer o que quiser da vida. Desde que; não me encha a porra do saco! Se não me encher o saco, se não me atrapalhar… pode cagar na meia, girar no quarto, passar na cara. Eu bato palma. Tá ótimo meu irmão! Tira uma foto e me manda. Eu não vou abrir e você vai ficar feliz!”

  16. Achei ótimo sua opinião sobre o assunto, concordo com oque você diz sobre a capa, e entre outras coisas mais que você mencionou. Gostaria também de argumentar sobre outras coisas, mas sobre isso é impossível, é impossível, porque sempre quando eu tento, todos vem pra cima de mim dizendo você não passou por isso, você não sabe a dor que eles passaram. As pessoas hoje, dizem, só negro sofre preconceito, só negro é humilhado, só homo sexuais são humilhados, etc. Tenho hoje 19 anos, sou depressivo, praticamente um bosta que não conseguiu subir na vida, pode ter sido por minha culpa mesmo, porem eu lembro o quanto era difícil ser alvo de piadas no colégio, lembro das surras que eu levava, no colégio na rua de casa, e lembro também da violência que vieram a me fazer… quem dera tudo isso tenha terminado apenas nos tempos de colégio, mas isso se alastrou por onde eu passava, inclusive no meu trabalho. Seria interessante se as pessoas para-sem de pensar que só um grupo determinado de pessoas sofre violência, e humilhação, mas isso é grande parte culpa do governo, que ensinou o povo a pensar dessa forma, tanto que as pessoas pararam de lutar por segurança pra todos, por melhor condições a todos, e começaram a lutar pelo grupo que se diz minoria, que não busca algo pra todos e sim apenas pra si. É tão horrível tentar expor uma experiencia, só porque você não se enquadra ao grupo que todos dizem ser os alvos de determinadas violências, é frustrante você tentar se abrir e contar aquilo que te enfernisa por anos, e as pessoas apenas duvidarem ou dizerem” podia ser pior, imagina se fosse com uma menina ou uma mulher” “você era criança, não faz tanto mal assim”, é difícil tentar falar pra alguém, quando as pessoas não levam a sério só porque você não é negro, porque vc não é homo-sexual ou mulher.

    • Então, Sr. Ninguém, obrigado por seu comentário. Gostaria de dizer que entendo seu lado de se sentir sozinho e ter dificuldades de expôr seus problemas para as pessoas que não vivenciaram o mesmo que você.
      Mas discordo quando você diz que isso tem a ver com fazer parte de “minorias” e discordo também da questão de ser culps do governo, por dar oportunidades aqueles que não tinham. O propósito dos programas de distribuição de renda e acesso à educação por cotas não visa segregar as pessoas, mas sim, aproximá-las. Afinal é responsabilidade do governo de qualquer país garantir dignidade a todos seus cidadãos.
      Inclusive os que têm depressão, como você e eu. Eu tomo remédios controlados e sei muito bem o que é sentir desespero em situações simples, sei bem o que é perder a alegria de viver e não ver propósito na vida. Independente do que você viveu ou não. Mas eu aprendi que se você se propuser a se abrir e falar com as pessoas que se importam com você sobre isso, dificilmente vão negar ajuda. O primeiro passo pra minha recuperação foi abrir o jogo com a minha família.
      Se quiser conversar sobre isso, Sr. Ninguém, estou à disposição através da inbox da Fanpage. Nem sempre consigo responder no mesmo dia, mas eu leio todas as mensagens.

  17. Ótimo texto Feliz, parabéns.

    Eu gosto da capa e acho ela muito bonita e bem pensada no que se refere a ser uma homenagem A Piada Mortal, sim nela a uma insinuação de abuso sexual, como também existe na hq PM. Neste ponto acho que não haveria nenhum problema, ela é pesada mas a história que a inspirou é tão pensada quanto. Mas, com certeza ela não serve para um hq como Batgirl que busca o público infantil. Fiquei muito feliz com o posicionamento do Fernando Albuquerque, que demonstrou uma incrível sensibilidade e coerência ao pedir que retirassem a capa, admitindo ter errado, algo que falta na maioria das pessoas na internet.

    Agora no que se diz respeito a liberdade de expressão, quero pôr em discussão umas ideias minhas. Na capa que mostra “A Família Sagrada num frenesi canibal”, não sei se é só uma capa ou era uma história, mas vamos supor que era. Eu particularmente não me senti ofendido com ela, o que me faz acreditar que eu seja o público-alvo dela, obviamente ela é ofensiva aos cristãos, mas e daí? Eles não são o público, não foi um conteúdo destinado a eles, a partir do momento em que eles ou qualquer pessoa reclama é porque entraram em um “território” que não é o seu. Por exemplo dentro das igrejas é pregado contra ateus e gays nos dias de hoje, nem por isso ateus e gays invadem igrejas para se defenderem. A liberdade te dá o espaço de poder opinar, mas é errado tentar oprimir algo só porque não agrada seu público, sendo que esse conteúdo agrada algum.

    É como no caso da Batgirl, homens adultos dizendo que não existe problema com a capa. Só que eles não tem o direito sobre decisão, aquilo não foi feito para eles, não diz a respeito a opinião deles, e sim a do público infantil feminino.

    Não é porque algo ofende alguém, que precisasse tomar medidas para acabar com aquilo, ainda mais se for algo fora do seu “território”. Não é porque um casal gay na rua esta se beijando, e isso é ofensivo para você, que ganha o direito de bater neles.

    Todos são a favor da liberdade de expressão daqueles que compartilham da mesma ideologia. Agora para termos liberdade de expressão é preciso aceitar também aquilo que é contrário a você, por mais que seja ofensivo.

    (Acho que existem um limite, como apologias a qualquer tipo de violência ou preconceito.)

    Espero que entenda o quero dizer.

    • Olá, Alberzagui! Então, primeiro, obrigado por registrar sua opinião!
      Sobre a capa dos zumbis, eu ilustrei aqui pra mostrar a diferença da reação das pessoas. Enquanto os nerds majoritariamente comentavam que a retirada da capa da Batgirl era mimimi, ninguém comentou sobre o furor causado pela capa da Sagrada Família.
      Valeu pela participação!

  18. Achei bem interessante o post. Admirei muito o desenhista por pedir para a DC para não postar a capa e e a DC por não postar, faz sentido não postar a capa na HQ da Batgirl que tem um público tão novo. Se eu não soubesse que o público alvo eram pessoas tão jovens eu falaria que é muito “mimimi”, mas sabendo disso apoio a decisão deles, a DC não precisa desse escândalo.
    Na minha opinião, a capa ficou foda, expressou muito bem o que é o Coringa e a Piada Mortal. O Coringa é um psicopata assassino que mata sem discernimento, causa maldades a quem quer que seja e faz tudo por simplesmente fazer. Se a capa fosse publicada em uma revista específica, não acho que teria tanto problema.
    Em relação as feministas, não tenho nenhum comentário. Não sou mulher, não passo pelo o que elas passam, me mantenho neutro perante a isso.
    Gostei do post Feliz, você não deveria ficar com medo de perder leitores, cada um tem a sua opinião. Os outros devem respeitar sua opinião e você a deles. Em suma eu vejo da seguinte forma: ótima homenagem a Piada Mortal, porém feito para a HQ errada.

  19. Da hora sua abordagem do assunto. Eu vi essa história primeiro num vídeo que um gringo chamado Jim Sterling fez essa semana, e a opinião dele se enquadra mais ou menos no que voçê disse

  20. Bom dia Feliz, Parabéns pelo texto.
    Acho a capa muito boa, ficou foda!!
    Mas realmente em um contexto em que as HQ’s são consumidas em sua maioria por meninas novas, é melhor evitar.
    Sucesso pra você, abraço!

  21. Concordo plenamente com o feliz, muitos falaram de mimimi, mas quando vi a capa eu fiquei fiquei com o pé atras apesar da arte ser muito boa, mas quando descobri que era a capa de uma revista para meninas jovens eu pensei “caramba”, não faz sentido nenhum homenagear algo pesado como a piada mortal em uma revista desse tom, e vejo na internet muitos dizendo para não censurar simplesmente porque para eles isso não os afeta ou afetaria qualquer um, mas fazendo uma analogia, não sabem que um filme de terror que eles acham legal pode aterrorizar outra pessoa, eu sou cristão e sim não gostei da capa do night of the living dead, mas eu respeito quem achou legal, mas que isso significa algo para mim isso sim. Muito obrigado Feliz!

  22. Caro feliz, reli seu texto algumas vezes antes de deixar este comentário. Gostei muito do seu texto e acompanho o giblog a pouco tempo, o que não me impediu de ver posts mais antigos, confirmando o que eu imaginava ao ler os primeiros, são de extrema qualidade, tanto os textos, recomendações e claro, as histórias. Entendo e concordo com seu ponto de vista, embora que considero a imagem imprópria para a HQ da Batgirl por ser destinada para o público infanto-juvenil e não por ser destinado ao feminino. Confesso que após fazer os exercícios de reflexão aqui propostos, me peguei repensando certos conceitos que tinha. Obrigado por isso. Quando li seu texto sobre o Charlie Hebdo, entendi a analogia ao politicamente correto citando como exemplo alguns humoristas, neste texto você tornou a mencionar o Danilo Gentili, o que eu achei desnecessário, acredito que quem leu o texto consegue entender bem o que você diz, sem necessidade de mencionar algumas pessoas (ah, lembrando que não estou falando de você dizer sobre a “Regra gentili” e sim de mencionar dizendo o que ele ou ela faria ou não faria).
    Obrigado pela atenção.
    P.S.: Não comecei elogiando pra amansar o texto, é só que foi meu primeiro comentário no blog.

      • Feliz, li o texto que você me enviou, bom, mais desabafo mesmo. Entendo bem o que você me diz. O que eu disse (ou quis dizer, sempre me confundo) é que realmente, deve ser bem ofensivo mesmo, para alguém que se vê sempre retratado como o inferior ou o dependente, ver uma imagem desta, mas há de que se avaliar um pouco mais o contesto da imagem, coisa feita muito bem em seu texto onde não analisou só a imagem, mas também como ela foi apresentada. Empatia talvez seja mesmo a palavra chave.
        PS:Infeliz deixa o Feliz digitar em paz.

  23. Eu gostei da capa, acho ela positiva porque o coringa faz parte da historia da Batgirl. Porém, entendo perfeitamente a posição do Rafael Albuquerque em decidir não publicar a capa. Mas também acho que as leitoras(os) da Batgirl não deviam rejeitar dessa forma essa capa, porque a própria representa um momento importante e trágico vivido pela personagem.

  24. Pingback: O Fim de uma Era. | Café do Feliz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s