Giblog #096

cdf_096

Normalmente eu não sou o cara que fica de mimimi ao ver alterações significativas em adaptações para o cinema. Detesto ser aquele que diz: “isso não tá no livro!” Eu entendo perfeitamente que quadrinhos, livros e filmes são mídias diferentes e cada uma contém sua peculiaridade. Cada uma tem sua linguagem e uma forma distinta de comunicar com o público, e inclusive, não raro, o próprio público diferente. Desde que funcione, por mim tudo bem.

Foi justamente esse o problema de O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos. Não me importei com o arco da vingança de Azog ter se estendido tanto, nem mesmo com o romance entre a elfa Tauriel e o anão Kili. Pra mim, foram tramas paralelas convincentes e bem contadas. Só que a tentativa de esticar uma história de um livrinho de 300 páginas em três filmes de 3 fucking horas cada resultou em uma bagunça de elementos colocados ali sem necessidade alguma e a negligência de um dos aspectos mais importantes que compõem uma trilogia: coerência. Se Thorin ficou obcecado pelo Tesouro e pelo poder, o mesmo parece ter acontecido a Peter Jackson.

Por exemplo: qual foi a necessidade de enfatizar de maneira tão didática e esticada a volta de Sauron? Tudo o que era necessário mencionar já havia sido discutido em Valfenda ainda em Uma Jornada Inesperada. Toda a sutileza sobre o surgimento de um Necromante deu lugar a um didatismo que prejudica uma boa narrativa, quase literalmente jogando a informação na nossa cara e falando “olha, Sauron voltou, viu?”. Também já havia o elemento de tensão representado na disputa pelo tesouro de Erebor, que culminaria na grande batalha, não tinha necessidade de colocar mais um clímax. E o pior, a conclusão dessa subtrama ainda deixou um furo em A Sociedade do Anel, no momento em que Gandalf segue a Gondor para pesquisar justamente sobre o que já havia acontecido ali em sua frente.

Também ainda não me sai da cabeça que Legolas só está nos dois filmes pra repetir as demonstrações de fodacidade do Senhor dos Anéis em que todo mundo gritava “uhuuu” no cinema. Ou seja, mais um elemento ali que não colou.

Mas não quero soar só como um nerd reclamão. A Batalha dos Cinco Exércitos é, sim, um bom filme de guerra e entrega satisfação em cenas com fileiras de soldados se engalfinhando e combates individuais bem orquestrados. O desfecho da trama de Smaug, por exemplo, não foi anticlimática como no livro e a conclusão da disputa entre Azog e Thorin também empolgou. Igualmente emocionante foi ver a volta de Bilbo para o Condado e relembrar a sensação de andar pela Terra-Média pela primeira vez ao som da característica música tema dos hobbits. Só é uma pena que Jackson, por mais que tenha provado seu amor à obra de Tolkien, tenha perdido o foco e tentado fazer um segundo Senhor dos Anéis. Uma Jornada Inesperada continua como meu favorito.

Enfim, bem-vindos de volta, caros leitores!
-Feliz

Anúncios

11 respostas em “Giblog #096

  1. feliz eu concordo mas sempre q eu vejo isso acontecer eu penso ´´carai sera q um cara q e fan faria isso´´ ai percebo“ NAO talves ele nao tinha escolha talves os investidores queriam um filme igual senhor dos aneis´´ mas de boa o filme realmente nao foi o esperado mais foi um bom filme valeu paga pr i no cinema ne nao

    feliz sempre feliz

  2. Possíveis cenas da versão estendida:Saruman conversando com sauron,sendo convertido ou não , ele pode já ser um fdp. Radaghast indo até beorn para convencê-lo e quem sabe ele ter uma presença significativa . E tantos outras coisinhas que ainda afloram a minha imaginação como a de uma criança,mesmo tendo visto o filme na estreia ainda estou com aquela maluquice toda na cabeça .O que dá pra dizer é que não tinha motivo pra transformar o hobbit em 3 filmes,mas 1 ficaria meio apertado,acho que dois seriam o ideal,porquê a sensação de transição do banho de lua loca do smaug até ele atacar a cidade deixa um vão mental de 1 ano , sem contar que algumas cenas pareciam video clipes .Fora isso , a batalha ficou muito boa ,mesmo muito diferente da do livro,isso é um ponto que não poderia ser transmitido pro cinema e que acabou virando uma batalha épica ao estilo do senhor dos anéis.Acho que o fili poderia ter sido melhor explorado , já que a única coisa que ele faz nos filmes é ser o Greg do killi e pegar o ruby no salão do rei(além claro da pérola “se existe uma chave,existe uma porta”).Falando nisso,pq caralhos derem uma censurada na morte dos irmãos sem mostrar a espada atravessar o corpo , se metade do filme se baseia em cabeça de orc voando por aí?Bem , agora não dá pra fazer mais nada a não ser esperar um reboot que possivelmente nem acontecera , e deixar a warner contando dinheiro.

  3. Eu concordo com todas as críticas negativas aos filmes, sim, o Peter Jackson exagerou, não devia ter feito três filmes de três horas, não devia ter sido tão didático, não devia ter repetido cenas de O Senhor dos Anéis para criar ligações for dummies e etc e etc.

    MAS… Como fã de Tolkien, que leu os livros várias vezes, pretende fazer uma tatuagem com runas fëanorianas, como nerd chato e detalhista… Eu curiosamente tô de boa 🙂

    Tipo… Uma Jornada Inesperada é o filme de O Hobbit perfeito, totalmente fiel ao livro, com a essência do livro, com tudo no lugar certo, com o humor, as canções e etc e etc! (que se dane Misty Mountains… É ISSO O QUE BILBO BOLSEIRO DESTETA! CUIDADO COM OS PRATOS DA FESTA!!!);

    Tudo o que eu mais queria me foi dado no primeiro filme, tem todas as melhores cenas, as minhas preferidas! Trolls! Gigantes de pedra! E ainda tem cenas extras inventadas legais “Mithrandir, why the Halfling?” até o Saruman tem cenas cômicas!

    Ai ok… A conclusão ficou para outros filmes. Mas, sinceramente, depois mais ou menos daquela parte das águias, começa a parte que eu estou estou meio whatever para o livro e para o que acontece. É quando todo mundo começa a ficar sério demais, perde um pouco o brilho e deixa de ser tão divertido.

    Sempre que releio o livro é quando eu normalmente canso de ler e devolvo para a estante, então eu vou apenas para curtir, o que vier é lucro, por que já tem o primeiro filme e a trilogia (apesar do final arrastado de O Retorno do Rei).

    Sobre alguns pontos:

    Legolas – Em O Senhor dos Anéis ele não tem função narrativa alguma, tem horas que esquecemos da existência dele (até ele grita: Ai! Ai! Um Balrog!), mas achei legal ele aparecer nos filmes, afinal tem essa brecha justificada, eles estarem no reino dele. E apesar dos pesares, achei legal ele ser meio babaca nos filmes, ai fica mais evidente a mudança dele em O Senhor dos Anéis, quando ele vira amigo do Gimli.

    Kili e Tariel – Não consegui me incomodar com aquilo, ainda mais sabendo que o Kili morre, então achei legal esse romancezinho! Acho que muito nerd anão sonha com aquela menina elfa! Pena que para os nerds hobbits (eu) ainda preciso de mais umas canecas de cerveja para chegar na garota da estalagem!

    Smaug – Eu até concordo que deveria ter morrido no final do segundo filme. Mas foi um erro estrutural. O filme estava longo demais, eu estava cansado demais assistindo no cinema, se esticassem pelo menos uns vinte minutos para mostrar a morte dele, eu não aguentava. E sim, deveriam ter cortado coisas do filme para encaixar o final, mas não fizeram isso.

    Incoerência sobre o anel: O problema é que isso vem dos livros. Tipo, nos livros o Gandalf sabe do anel mágico do Bilbo, mas deixa de lado. Ai fica a tal coisa, como consertar esse erro estrutural? Por que se mexer nisso, vai criar um efeito borboleta.

  4. Cara que massa o blog ta de cara nova que lega foda-se senhor dos oscas mais gostei do feliz ali fazendo uma pontinha muito foda mesmo só faltou o infeliz pegando a parti dele de novo do imposto de renda kkkkk

  5. O Viggo Mortensen foi convidado pra interpretar o Aragorn na trilogia, mas recusou. O problema, na minha humilde ótica tolkiana, foi o Peter Jackson querer transformar uma história simplória e cativante como “O Hobbit” em algo mais denso e elaborado, de modo a se assemelhar a “O Senhor dos Anéis”.

  6. Gente, sério, na visão de um empresário, você sabendo que tem uma mina de ouro em mãos, vai fazer o que? Mesmo os tolkianos mais nerds, mesmo aqueles que reclamaram horrores do filme, acabaram consumindo e investindo money ali tbm, então cumpriu o objetivo, né?

  7. Voce esta usando indevidamente o texto do william ribeiro usuario wrtps7. se vc quer usar as coisas dos outros deveria por os creditos. Ísso e plagio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s